sábado, 15 de dezembro de 2012

Fim de ano com Satsang no Sattva Espaço de Yoga

"Ficar em companhia de pessoas que possuem o conhecimento claro de sua própria natureza absoluta, ou daquelas que buscam o mesmo." Isso é Satsang.

O nosso Satsang de fim de ano era pra ser no parque mas a chuva quis que fosse no Sattva Espaço de Yoga. Na verdade, não há lugar melhor, já que todos os dias do ano os praticantes estendem seus tapetinhos nesse mesmo espaço.
Muitos yogues fugiram da chuva. Outros vieram e exerceram tapas (o esforço sobre si mesmo) num sábado não ensolarado às 8h! Nós praticamos, conversamos, comemos, bebemos e rimos, claro! E cada praticante escolheu um asana (postura) para oferecer ao grupo e ao espaço.
Obrigada, Ines, Cristina, Fabiana e Mariana pela presença e pela entrega!!
Dia molhado

Virabhadrasana II

Uttanasana

Garudasana e Badha Konasana

Tadasana

Ustrasana

Piquenique!

sexta-feira, 14 de dezembro de 2012

Hoje ele compelta 94 anos!


"Sabe os rolos de compressor que aplainam as ruas? Na roda da frente eu fazia curvaturas para trás, porque meu corpo não conseguia executá-las sozinho. Então, sempre que via uma máquina na rua, costumava fazer pontes para trás sobre ela! Depois usei tambores. Por causa dessa prática, as pessoas me chamavam de maluco. Eu era mesmo! Não conseguia fazer os asana [posturas] sozinho, então estava sempre pensando em como poderia executá-los e encontrando meios de aprender. Assim, encontrei formas de usar blocos, pesos e sacos de areia para aprender e demonstrar a precisão dos asana!" (B.K.S. Iyengar)

sexta-feira, 7 de dezembro de 2012

Yoga na gestação: por que praticar

"Na medida em que se firma na prática, você sente o poder do corpo e passa a confiar nele, você aprende a ouvir seus instintos e a se ligar à vida que cresce dentro de você." (O Livro de Yoga e Saúde para a Mulher, Linda Sparrowe e Patricia Walden)
Yoga na gestação » Vídeos - Revide Vip

quarta-feira, 5 de dezembro de 2012

Prática regular de yoga: por que manter...

"A prática dos asana (posturas) estimula profundas mudanças bioquímicas. O cérebro e o sistema glandular passam por uma transformação. O metabolismo do corpo é ajustado e corrigido conforme as necessidades. O indivíduo compreende onde deve ativar o corpo e onde não ativar, o que deve fazer e o que não deve. O modo de pensar e de se apresentar discriminativo transforma e afeta o praticante para melhor, levando-o a conquistar equilíbrio mental."  (B. K. S. Iyengar)

B. K. S. Iyengar (pensando?) em Badha Konasana

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Fim de semana de Posturas Restauradoras

"Há um princípio na sabedoria antiga indiana que nos ensina que o que mais adoece o ser humano é comer demais e pensar demais. Com essa preciosa dica verifique o quanto estes dois dispêndios excessivos de energia estão em relação ao seu dia a dia. Se você sente estar longe desta moderação natural, lembre-se que nada está perdido, é só você lembrar o quanto sua mente está lúcida e calma quando você acaba uma prática de yoga." (Sandro Bosco - http://blogdoyogue.blog.uol.com.br/)

Foi com a mente calma e lúcida que terminamos o fim de semana depois do Workshop sobre Posturas Restauradoras com o professor Sandro Bosco em Ribeirão Preto. Obrigada a todos que participaram! Obrigada Sandro Bosco, Karina Kokudai, Instituto Idese, Fnac Ribeirão Shopping e Band News FM pelo apoio!



A manhã ensolarada terminou com temporal!


Torções pra refrescar e energizar


Sandro Bosco e os props: companheiros de jornada


Nada como uma postura invertida pra fechar a prática!

Kit de sobrevivência

Sandro Bosco em noite de palestra e autógrafos na Fnac Ribeirão Shopping

sexta-feira, 26 de outubro de 2012

"Que nossos esforços sejam heroicos"

Se fosse possível resumir a experiência de participar do Curso Aberto de Iyengar Yoga com o professor Faeq Biria, escolheria esse trecho do mantra que ele recitava todas as manhãs antes de iniciarmos a prática.
Foram dias intensos, ricos, plenamente dedicados ao estudo do yoga. Dias de trocas, insights, suor e lágrimas (por que não?!). E tão importante quanto o refinamento da prática foi aprender (de novo e sempre) a ficar no presente...


Vai começar o pranayama!


Material de trabalho
 
Pra lembrar sempre

Nada mal praticar com essa vista...
Companheiras de quarto e de jornada
Penso, logo existo

Reverência ao mestre B. K. S. Iyengar



quinta-feira, 4 de outubro de 2012

O que é ser um iogue?

Uma aluna me fez essa pergunta no início da aula e eu respondi de forma sintética que um iogue é uma pessoa que segue os princípios do ioga. Sim essa pessoa pratica a não-violência (ahimsa), sabe dizer a verdade (satya), não se apropria do que não é dela (asteya), pratica o auto-controle (bramacarya), pratica o esforço sobre si mesma (tapas), pode ser que pratique posturas de ioga (asana), pranayama (disciplinas respiratórias), meditação... Percebi o quanto é complexa a resposta para essa pergunta. Isso me fez refletir e se eu pudesse definir um iogue diria que é a pessoa que faz o que fala e fala o que faz, enfim, vive com coerência. Ela pode ou não praticar posturas de ioga. Mas essencialmente é alguém que leva a sério uma coisa chamada ética. Não porque disseram a ela que é preciso seguir determinadas regras, mas porque o caminho da ética é o único que faz sentido para ela.
E como disse lindamente o iogue B. K. S. Iyengar: "(...) só quando encontramos a nós mesmos é que de fato somos dignos de expressar os níveis superiores da moral. Não é algo que podemos forçar além da nossa capacidade. Temos de estar à altura deles."

Nelson Mandela, um iogue nato

quarta-feira, 26 de setembro de 2012

"Quando [os músculos protetores do coração] são levados a relaxar, os músculos diretos do coração relaxam. Se o desejo é fortalecer o sistema cardiovascular com outro tipo de exercício físico, é preciso provocar movimentos tremendos no corpo, como aqueles feitos por meio de corridas ou caminhadas. Dessa forma, os movimentos vigorosos criam tremores. Entretanto, com os asana [posturas] da ioga, leva-se um grande volume de sangue aos músculos do coração sem irritá-lo ou fazê-lo pulsar rápido." ("A Sabedoria e a Prática da Ioga", B. K. S. Iyengar)

Ustrasana (Postura do Camelo)

quarta-feira, 12 de setembro de 2012

Inverta a ordem!

"De acordo com o yoga, temos um fogo, agni, no corpo, situado na região vizinha ao umbigo. (...) na inspiração, o ar move-se em direção ao ventre, provocando uma correnteza, que direciona a chama para baixo, exatamente como numa chaminé; durante a expiração, a correnteza movimenta a chama na direção oposta, trazendo consigo o resíduo que acabou de ser queimado. Não é suficiente apenas queimar o 'lixo'; devemos também libertar o corpo dele.
(...)Certas posições físicas são propícias ao encontro entre o fogo e o 'lixo'. Em todas as posturas invertidas, agni [fogo] é direcionado ao apana [região do baixo abdome]. Essa é a razão por que o yoga atribui tanta importância aos efeitos desintoxicantes das posturas invertidas."
                                                                  (T. K. V. Desikachar)

Viparita Karani: postura invertida de efeito restaurador potente

sexta-feira, 7 de setembro de 2012

Yoga e menopausa

"Por volta dos 40 a 50 anos a mulher vivencia distúrbios no ciclo menstrual. A menstruação cessa repentinamente ou se torna irregular, ou diminui em quantidade. Todos esses são sinais naturais de que as funções reprodutivas estão chegando ao fim. Assim como ocorrem desordens físicas, fisiológicas e psicológicas quando inicia a menstruação, a mulher novamente se depara com desequilíbrios na fase da menopausa. Como os ovários param de funcionar, as outras glândulas, especificamente tireoide e adrenal, tornam-se hiperativas e há um desequilíbrio hormonal. (...) Podem haver distúrbios emocionais, perda de equilíbrio e autoconfiança resultando em mau humor, inveja, depressão, medo e ansiedade. (...) Trata-se de um período crítico. A essa altura, a prática de asanas [posturas] de yoga é extremamente benéfica, já que acalma o sistema nervoso e traz equilíbrio.
Yoga é um presente para idosos. Aqueles que iniciam a prática nessa fase obtém não só saúde e felicidade mas também frescor mental, já que o yoga oferece um ponto de vista claro sobre a vida."
(Tradução livre de trecho do livro "Yoga - A Gem for Women", de Geeta S. Iyengar)
A professora Fabiana Rodrigues Barbosa, formada no método Iyengar por Kalidas Nuyken e Sandro Bosco e editora do blog fabirodriguesyoga.blogspot.com, vem se aprofundando nos estudos sobre a prática de yoga durante os diferentes momentos da vida da mulher e estará no Sattva Espaço de Yoga no sábado, dia 15/9, ministrando o workshop Yoga para Mulheres - Prática de Posturas Ciclo Menstrual + Menopausa. O Sattva fica na rua Antônio Achê, 818 - sala 7, tel. 9179-7923. Essa aula especial acontecerá em dois períodos. O período da tarde já está lotado e restam algumas vagas para o período da manhã. Trata-se de uma oportunidade única e de uma prática poderosa! Se você ainda não se inscreveu, corra!!
Namastê!

sábado, 25 de agosto de 2012

"A yoga contribui de várias maneiras para o alívio da TPM. No nível físico, ela relaxa o sistema nervoso, equilibra o sistema endócrino, aumenta o fluxo de sangue e oxigênio para os órgãos reprodutores, purifica o fígado e fortalece os músculos em torno de todos esses órgãos. Em termos psicológicos, a yoga diminui o stress e promove o relaxamento, o que permite ao hipotálamo regular os hormônios com mais eficiência. Ela lhe dá o tempo - e muitas vezes a permissão - de que você precisa para entrar em contato consigo mesma, ouvir o seu corpo e responder a ele." ("O Livro de Yoga e Saúde para a Mulher", Linda Sparrowe e Patricia Walden)

Direcionar a prática de yoga para o momento que estamos vivendo (mulheres e homens) faz toda a diferença em termos de ganho de bem-estar. E quanto mais a gente se aprofunda na prática, mais aprende a escutar o corpo. No caso feminino, o período menstrual é uma fase que praticamente nos obriga a repensar atitudes. Cada fase do ciclo traz diferentes demandas em termos de energia e, portanto, de asanas (posturas de yoga). Por isso, refaço aqui o convite a praticantes ou não de yoga para participarem do Workshop de Yoga para Mulheres da professora Fabiana Rodrigues com prática para o Período Menstrual e Menopausa. Quem quiser conhecer melhor o trabalho dela, que estará em Ribeirão Preto no dia 15/9, no Sattva Espaço de Yoga (r. Antônio Achê, 818 - sala 7), dê uma espiada no blog fabirodriguesyoga.blogspot.com. Lá tem fotos das aulas que ela ministrou em outras cidades sobre o assunto e ótimos textos sobre a prática de yoga!

terça-feira, 31 de julho de 2012

Conhecendo todos os objetos como impermanentes,
não permite que o contato com eles te aprisione.
Decide de novo e de novo estar consciente
Do Si Mesmo que é permanente.
        (Yogañjalisaram, verso 5 - Sri. T. Krishnamacharya)

terça-feira, 24 de julho de 2012

A importância do pranayama

"(...) a verdadeira intenção das várias técnicas e proporções da respiração em pranayama é, acima de tudo, dar-nos diferentes possibilidades de acompanhar a respiração. Quando acompanhamos a respiração, a mente fica absorvida por essa atividade. Dessa maneira, o pranayama nos prepara para o silêncio e a quietude da meditação.
A respiração está diretamente relacionada à mente e ao nosso prana, mas não devemos por isso imaginar que, quando inspiramos, o prana simplesmente flui para dentro de nós. Não é o caso. O prana entra no corpo no momento em que há uma mudança positiva na mente. Obviamente, nosso estado mental não se altera com cada inspiração e expiração; a mudança ocorre ao longo de um bom tempo. Se estivermos praticando pranayama e notarmos uma mudança mental, isso é sinal de que o prana entrou no corpo muito antes. As mudanças da mente podem ser observadas primeiro nos nossos relacionamentos com outras pessoas."



"(...)prana pode ser descrito como algo que flui continuamente de algum lugar dentro de nós, preenchendo-nos e nos mantendo vivos: é a vitalidade."
Fonte: "O Coração do Yoga", T. K. V. Desikachar

domingo, 1 de julho de 2012

Satsang

Ontem aconteceu o primeiro Satsang (encontro) no Sattva Espaço de Yoga. Foi regado a prática de asanas (posturas), meditação e música indiana. A querida amiga Grazi tocou cítara e nos ensinou um pouco sobre a cultura indiana. O bolo de maçã e especiarias que eu fiz foi sucesso (modesta, não?). Abaixo, a receita:

-3 colheres de sopa de manteiga sem sal
-1 xíc. de chá de açúcar mascavo
-Quase 1 xíc. de chá de açúcar branco ou mel (esqueci desta parte na receita de ontem, por isso o bolo não ficou tão doce)
-3 ovos inteiros
-1 xíc. de chá de aveia em flocos
-1 1/2 xíc. de chá de farinha integral ou branca (usei só a integral, mas dá pra fazer metade integral e metade branca que o bolo fica mais leve)
-1 colher de chá de canela em pó
-1 colher de chá de cardamomo em pó
-1 colher de sopa de fermento em pó
-1 maçã com casca picada (pode usar pera que também fica bom. Mas aí o nome do bolo muda...)
-1 limão siciliano
-Raspas de limão siciliano (se quiser pode substituir por laranja ou usar os dois)
-1/2 xíc. de chá de amêndoas picadas (pode ser nozes também)
-1/2 xíc. de chá de damasco picado e de uvas passas
-Cravo macerado a gosto (na receita de ontem não tinha cravo)
Coloque numa tigela as amêndoas/nozes, o damasco e a uva passa e misture. Acrescente os ovos e a manteiga e mexa bem (não precisa usar batedeira, mexa na mão mesmo. Trata-se de um bolo rústico). A massa não vai ficar lisa. Coloque o açúcar enquanto continua mexendo. Ponha a aveia e mexa. Depois a farinha e mexa. A massa fica dura mesmo. Esprema o limão siciliano e acrescente as raspas, a canela e o cardamomo. Mexa. Coloque o fermento em pó e por último a maçã. Mexa pouco e ponha na forma untada com manteiga e farinha ou com manteiga e chocolate em pó. Eu usei a última opção. Ponha no forno. Demora cerca de 40 minutos para assar, mas isso depende do forno.
Bom apetite!

quarta-feira, 20 de junho de 2012

O pranaiama

Neste vídeo, ele demonstra o que é domínio...

Tenho o maior respeito pelo pranaiama. Tanto respeito que confesso praticar menos do que gostaria. E por saber que a coluna deve ser forte o suficiente para praticar pranaiama, acabo privilegiando os asanas (posturas) quando tenho que escolher (e eu sempre tenho que escolher! rs). Ultimamente, porém, venho investindo mais nisso que é conhecido grosso modo como "técnica respiratória", e que na verdade é uma redistribuição de energia pelo corpo. Como a própria palavra diz: prana=energia vital, ayama=expansão, extensão, controle.
Hoje escolhi o Viloma Pranaiama I deitado, ou seja, a interrupção das inalações. Esse pranaiama é indicado para pessoas que sofrem de pressão baixa, fadiga e fraqueza. Segundo B.K.S. Iyengar é bom para iniciantes. Se eu tivesse que definir o pranaiama com uma palavra seria: mergulho. Traduzindo livremente as palavras do mestre Iyengar em "Light on Pranayama":

"É difícil explicar Prana assim como explicar Deus. Prana é a energia que permeia o Universo em todos os níveis. É energia física, mental, intelectual, sexual, espiritual e cósmica. (...) Vigor, poder, vitalidade, vida e espírito são todos formas de prana."

segunda-feira, 4 de junho de 2012

Disciplina é liberdade

Fazia um tempo que eu não ouvia Legião Urbana com atenção. Retomei após o contato na semana passada com o show tributo exibido pela MTV ao vivo e encabeçado pelo fã Wagner Moura nos vocais e pelos integrantes da banda Marcelo Bonfá e Dado Villa-Lobos. Emoção à parte, ressuscitei alguns valores e entre as letras maravilhosas e precisas de Renato Russo a de "Há Tempos" me fez lembrar do terceiro niyama* do yoga: tapas. Renato Russo diz: "Disciplina é liberdade".  O yoga já dizia isso há cinco mil anos. Tapas pode ser traduzido como autoesforço, austeridade ou disciplina. "...Quer dizer um esforço ardente sob quaisquer circunstâncias para a consecução de um objetivo bem definido na vida". ("A Luz da Ioga", B. K. S. Iyengar). Ora, quando conseguimos imprimir constantemente "esforço ardente sob quaisquer circunstâncias" não estamos presos aos caprichos da nossa mente, não estamos presos a nada e, portanto, somos livres. Disciplina é muitas vezes confundida com repressão. Mas quando há discernimento ela só pode nos levar ao maravilhoso mundo da liberdade. Os antigos iogues sabiam disso. Renato Russo também.

B. K. S. Iyengar exercita tapas em Ganda Bherandasana

*Niyamas são as condutas que se aplicam à disciplina individual. Traduzindo:como eu me relaciono comigo mesmo. São cinco: saucha (higiene), santosha (contentamento), tapas (autodisciplina), svadhyaya (autoestudo), ishvara pranidhana (entrega a Deus).

domingo, 27 de maio de 2012

Viparita Dandasana

Há fases em que parece que o nosso corpo pede determinadas posturas. Estou numa fase, digamos assim, Viparita Dandasana. Por tabela, meus alunos acabam entrando na mesma onda... Acredita-se que essa postura simboliza a saudação yogi à força divina.





Aqui Viparita Dandasana praticada com apoio para a cabeça para aliviar possíveis dores no pescoço

Benefícios da postura: relaxa o cérebro; desenvolve estabilidade emocional e auto-confiança; estimula as glândulas adrenal, tireoide, pituitária e pineal; massageia o coração, prevenindo obstruções arteriais; melhora a capacidade pulmonar; melhora a flexibilidade da coluna; alivia indigestões e flatulência, entre muitos outros.


terça-feira, 22 de maio de 2012

Posturas restauradoras já!

Quem me inspirou a escrever este post foi uma aluna recém-chegada que me ligou um dia dizendo que não ia à aula porque tinha dormido mal na noite anterior, estava se sentindo cansada, enfim, não estava legal. Disse a ela que poderia ficar à vontade pra escolher, mas que não estar se sentindo bem não era motivo para faltar. Aliás, ao contrário!
Nesses momentos em que a gente se sente sem energia, às vezes triste também, a prática da yoga ajuda muito. Não é todo dia que estamos dispostos e para isso há um cardápio imenso de práticas restauradoras. Abaixo, duas posturas recarregadoras de bateria:
Viparita Karani

Supta Badha Konasana


Atenção: Mulheres não devem praticar Viparita Karani durante o período menstrual

sexta-feira, 11 de maio de 2012

A importância do Savasana

Muitos praticantes de yoga dão pulos de alegria quando chega a hora do Savasana (postura do morto) no fim da prática de yoga. Alguns até dizem que é a melhor parte da aula. Já ouvi um aluno dizer que ele só vai para a aula pra fazer Savasana. Essa postura, ao contrário do que aparenta, é das mais difíceis de dominar, já que não se trata apenas de deitar e fechar os olhos (muito menos de um convite ao ronco), mas de buscar aquietar a mente, tarefa pra lá de complexa. Apesar disso, na minha experiência como professora, essa é a postura que mais suscitou depoimentos dos alunos após a aula até hoje. Alguns toparam compartilhar suas vivências aqui:

"Minha experiência com o Savasana vem sendo como uma plantinha que se cuida todo dia. Estranho ter que ‘cuidar’ de um asana que não exige nada a não ser relaxar... Mas, na minha percepção, tive que cuidar para não me perder em mil pensamentos, cuidar para aquietar meu corpo, cuidar do meu bem-estar. Passados cinco anos de prática e todas essas fases de inquietação que já passei na postura, sinto hoje que saio da prática com a sensação de conquista, de que trouxe a mim todas as recompensas que a prática pode nos dar. Para mim, hoje, o Savasana é o ponto onde entendo que realmente estive concentrada todo o tempo para ao final chegar ao recolhimento e à absorção de toda a prática." (Mariana Evangelista)

 “Dizem que a primeira vez, a gente nunca esquece, certo?? No meu primeiro Savasana... tive a pior sensação que um ser pode ter. Senti o cheiro de carne apodrecida por um tempo. Aos poucos, me dei conta de que o cheiro vinha exatamente de mim mesma e de repente me dei conta de estar morta, literalmente em decomposição. Nunca esquecerei da sensação angustiante.” (Clarice Skalkowicz)
“Considero a postura do relaxamento final, o Savasana, um momento especial da aula. Embora todos os instantes de prática tenham sua importância, pois agem em benefício do todo, o Savasana me parece especial à medida que, além de relaxar, permite uma espécie de ‘amarração’ de tudo o que foi feito. Em muitas práticas, já mergulhei num relaxamento tal que me sentia presente e ausente ao mesmo tempo, sem estar dormindo. Outra experiência interessante nesta postura foi a sensação cromática que permeou a postura em muitas práticas.” (Ana Márcia Zago)

"O objetivo de Savasana é manter o corpo em repouso, a respiração passiva, enquanto a mente e o intelecto são gradualmente sublimados. Quando flutuações acontecem internamente e externamente, as energias mental e intelectual são desperdiçadas. Em Savasana, os transtornos internos ou emocionais da mente são acalmados (...). Então, a mente, livre de flutuações, se dissolve e é absorvida no eu, como um rio no mar." (tradução livre de um trecho do livro "Light on Prãnãyãma", de B. K. S. Iyengar)

terça-feira, 24 de abril de 2012

Deixe-se tocar pelo asana!

"Às vezes as pernas doem e a mente diz 'Falte à ioga!'. Porém, uma mente inteligente deve descobrir por que sente dor e removê-la. O indivíduo encontra meios de fugir, mas persistir e prosseguir exigem uma mente forte. Praticar é como usar um alfinete para remover uma farpa da mão. Da mesma forma, o indivíduo precisa aprender a usar a inteligência para exercitar a remoção das assim chamadas dores e reformar as práticas para que esses problemas deixem de aparecer." (B.K.S. Iyengar)

B. K. S. Iyengar (de short branco) em ação

sexta-feira, 6 de abril de 2012

Boa Páscoa

"(...) tenho para mim que o amor é o que há de mais importante no mundo. Analisar o mundo, explicá-lo, menospezá-lo, talvez caiba aos grandes pensadores. Mas a mim me interessa exclusivamente que eu seja capaz de amar o mundo, de não sentir desprezo por ele, de não odiar nem a ele nem a mim mesmo, de contemplar a ele, a mim, a todas as criaturas com amor, admiração e reverência." (trecho de "Sidarta", de Hermann Hesse. Esse livro lindo conta a trajetória de um espírito rebelde em busca da paz do mundo. Buda? Cristo?...)

A estátua gigante de Buda em foto feita pela Mari durante  nossa ida à especial Sarnath, cidade onde o Buda fez seu primeiro discurso após se iluminar

sábado, 31 de março de 2012

Inspiração



"Conheça a sua capacidade e tente estendê-la um pouco mais. Assim você aprende a arte de equilibrar não apenas o esforço que empreende, mas também o medo e a coragem." (B. K. S. Iyengar)

sexta-feira, 30 de março de 2012

Tonifique seu cérebro


Cada vez mais a medicina ocidental vem se esmerando para comprovar com dados científicos os efeitos e a importância da prática regular da meditação. Toda hora lemos em jornais e revistas notícias sobre novas pesquisas exaltando os benefícios concretos dessa técnica. Pesquisadores da Universidade da Califórnia engrossam esse coro. Ouçam na matéria da jornalista Michelle Trombelli, veiculada pela Band News FM (96,7 no dial em Ribeirão Preto, e 96,9 em São Paulo):

http://bandnewsfm.band.com.br/Noticia.aspx?COD=582428&Tipo=225

quarta-feira, 28 de março de 2012

Simples assim

Um repórter perguntou à Cora Coralina (1889-1985) o que é viver bem. Ela lhe disse:

"Eu não tenho medo dos anos e não penso em velhice. E digo pra você,
não pense. Nunca diga 'estou envelhecendo, estou ficando velha'.
Eu não digo. Eu não digo estou velha, e não digo que estou ouvindo pouco.
É claro que quando preciso de ajuda, eu digo que preciso.
Procuro sempre ler e estar atualizada com os fatos e isso me ajuda a
vencer as dificuldades da vida.
O melhor roteiro é ler e praticar o que lê.
O bom é produzir sempre e não dormir de dia.
Também não diga pra você que está ficando esquecida, porque assim
você fica mais.
Nunca digo que estou doente, digo sempre: estou ótima.
Eu não digo nunca que estou cansada.
Nada de palavra negativa.
Quanto mais você diz estar ficando cansada e esquecida, mais esquecida
fica.
Você vai se convencendo daquilo e convence os outros. Então, silêncio!
Sei que tenho muitos anos.
Sei que venho do século passado, e que trago comigo todas as idades,
mas não sei se sou velha não.
Você acha que eu sou?
Posso dizer que eu sou a terra e nada mais quero ser.
Filha dessa abençoada terra de Goiás.
Convoco os velhos como eu, ou mais velhos que eu, para exercerem
seus direitos.
Sei que alguém vai ter que me enterrar, mas eu não vou fazer isso
comigo.
Tenho consciência de ser autêntica e procuro superar todos os dias
minha própria personalidade, despedaçando dentro de mim tudo que é
velho e morto, pois lutar é a palavra vibrante que levanta os fracos e
determina os fortes.
O importante é semear, produzir milhões de sorrisos de solidariedade
e amizade.
Procuro semear otimismo e plantar sementes de paz e justiça.
Digo o que penso com esperança.
Penso no que faço com fé.
Faço o que devo fazer com amor.
Eu me esforço para ser cada dia melhor, pois bondade também se aprende.
Mesmo quando tudo parece desabar, cabe a mim decidir entre rir ou
 chorar, ir ou ficar, desistir ou lutar; porque descobri, no caminho
 incerto da vida, que o mais importante é o decidir."

quarta-feira, 14 de março de 2012

Abrace sua alma nas torções

Ardha Matsyendrasana
Marichyasana I
Visão interna de Marichyasana I


"Se o praticante equilibra a frente, as costas e os lados do tronco de forma equidistante em relação ao âmago do ser, (...) digo que ele se aproxima do ananta samapatti, ou seja, abraça a Alma com todos os lados do corpo, voltando-se para Ela como se todas as partes do corpo fossem completamente unidas ao centro." (B. K. S. Iyengar)

quarta-feira, 7 de março de 2012

Yoga e gravidez

video
Na última quinta-feira, a pediatra e especialista em maternidade dra. Luciana Herrero (www.aninhare.com.br) falou sobre a prática de yoga na coluna semanal que vai ao ar pela Rádio Band News FM Ribeirão Preto (96,7). A coluna vai ao ar todas as quintas, às 9h50, e tem a vinheta mais fofa do rádio brasileiro!
Na foto, Fabiana e Milena (que está para chegar a qualquer momento) em Virasana com Braços em Gomukhasana (Postura do Herói com Braços em Cara de Vaca).
Foto: Regina Abdalla Medeiros
PS: Não reparem, por favor, no título do áudio. Eu realmente não sou boa com tecnologias, me perco completamente... Aliás, agradeço à Regina, que além de fazer a foto da aula me socorreu para publicar este áudio!

quinta-feira, 1 de março de 2012

Novo espaço para praticar yoga

Inauguramos em janeiro deste ano e já estamos a todo vapor!


terça-feira, 28 de fevereiro de 2012

Yoga para manter o eixo

Este poema do Joseph Campbell quem me mostrou foi uma amiga querida e praticante de yoga. Resolvi compartilhar aqui porque ele diz muito sobre yoga sem dizer...

O Herói

Cada um de nós é um herói
Isso é um dote.

Temos um chamamento para a aventura
Recusamos

Segue-se uma crise.
Não podemos voltar atrás - e atendemos ao chamado.

Juntamos auxiliares, professores, guias.
E cruzamos o limiar do desconhecido.
Perdemos a nossa identidade e afundamos num abismo,
no nadir, na barriga da baleia.
E emergimos.

Começamos a viajar de volta para casa, para aquilo que
conhecemos - cruzando de volta a fronteira.

Nós voltamos.

Transformados.

Virabhadrasana I (Postura do Guerreiro I)

terça-feira, 14 de fevereiro de 2012

Índia na revista Revide

A revista Revide, de Ribeirão Preto, publicou um texto meu (mais sobre impressões) a respeito da minha viagem à Índia. As fotos inspiradas foram todas feitas pela Mari com sua câmera digital-moderna-tudo de bom! Obrigada por emprestar suas imagens, Marineide!

http://www.revide.com.br/turismo/viagem-india/

domingo, 12 de fevereiro de 2012

Índia em movimento

A Índia tem muitas cenas. A gente fica compulsivamente fotografando tudo porque tudo é diferente, colorido, superlativo: muitas cores, muito congestionamento, muita buzina, muita gente... (e muita pimenta na comida!!). Foram 17 dias de viagem e não passamos um dia sem viver pelo menos uma aventura.
Mas só as fotos não mostram o quanto é intenso passear por esse país. Então, a Mari - com sua poderosa câmera que faz parte do rol de artefatos modernos - fez alguns videozinhos. Este do comércio de Jaipur (a cidade rosa) mostra bem como foi nosso domingo a pé pela cidade:




sábado, 11 de fevereiro de 2012

Impressões sobre a Índia

Como eu havia prometido aqui, vou compartilhar um pouco da viagem que fiz com uma amiga para a Índia. Sem nenhuma pretensão de finalizar o assunto, este é apenas o meu recorte de alguns lugares por onde passamos. Existem duas possibilidades:

1) As fotos feitas com a minha câmera (analógica, sem recurso, retrô)
2) As fotos feitas com a câmera da Mari (digital, com várias possibilidades, faz até vídeos, atual)

Vou compartilhar primeiro as fotos da linha vintage (no caso, as da minha câmera), que tem mais valor afetivo do que qualidade técnica. Espero que os digitalizados de plantão não se incomodem com as imagens em baixa resolução... E não reparem nos cortes das fotos, por favor, este não é o meu forte...


Este templo budista fica no lugar que para mim foi o mais especial de todos: Sarnath, a cidade onde o Buda fez o primeiro discurso após se iluminar. Fiz poucas fotos daqui. Parece que não cabia, eu quis de verdade ficar quieta, só contemplando...


O Templo de Lótus, em Delhi. Se você não quiser passar por Delhi, não está perdendo nada... Ô, cidade feia! Mas, se for, não deixe de visitar este templo ecumênico. Pessoas de todas as religiões vão lá simplesmente para silenciar. Lindo e regenerador

O comércio de Jaipur no domingo. Nesse dia, nos despedimos do Gulab Singh, nosso motorista, e decidimos andar pela cidade. Atravessar a rua é uma aventura!!


O Taj Mahal realmente dispensa comentários. Fiquei meio abobalhada quando vi, não acreditando que estava lá. Tem que ir!



Jaipur é uma cidade muito legal! Muitos palácios incríveis (conseguem ser mais maravilhosos que o Taj Mahal) e várias lojinhas. Nesta foto, o Amber Palast, o mais maravilhoso (se é que dá pra escolher) e festivo deles


Em Rishikesh, vale a pena visitar o ashram em que os Beatles se hospedavam. Lá eles compuseram a maioria das músicas do "Álbum Branco". Hoje sobraram apenas ruínas. Ficamos tentando adivinhar em que quartos eles ficavam...



 
Gosto bastante desta foto. As vacas andam entre nós em busca de algo para comer. Vimos muitas comendo lixo e papelão... São magrinhas, tristonhas... Não gostei do tratamento dado a elas. Ué? Mas elas não são sagradas na Índia?


Eu, irreconhecível com este figurino duvidoso, atravessando a ponte em Rishikesh, sem dúvida a cidade de que mais gostei